IBGE: 80 mil vagas para o Censo já têm cronogramas previstos


Folha Dirigida, 27/01/2016

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) já tem um cronograma previsto para os dois próximos editais do concurso de temporários, que preencherá mais 80.614 vagas para o Censo Agropecuário. Segundo a Assessoria de Imprensa do órgão, o próximo edital trará 18.214 vagas para agente censitário municipal (5.500), agente censitário supervisor (12.540) e agente censitário de informática (174), de níveis médio e médio/técnico. Em seguida, sairá o edital com 62.400 vagas de recenseador, de nível fundamental. Os dois documentos, segundo o IBGE, serão divulgados até 14 de junho, seis meses após a autorização do Ministério do Planejamento.

A prova objetiva do concurso de agentes censitários, segundo o IBGE, ocorrerá até o fim deste ano. O exame dos recenseadores, por sua vez, está previso para o início de 2017, dando a oportunidade de os interessados terem bastante tempo de preparação. A expectativa é que o concurso de recenseadores seja o mais concorrido entre os três. Antes de divulgar os editais, o IBGE precisa definir a organizadora desses dois próximos concursos. A Fundação Cesgranrio chegou a ser anunciada, já que assumiu a primeira seleção. No entanto, o instituto retificou a informação, alegando que ainda precisa definir a banca. Isso, porém, não deverá demorar para acontecer.
 
Os selecionados serão contratados por até um ano, com possibilidade de prorrogação, até o limite de três. Todos atuarão no Censo Agropecuário, cuja coleta de dados, segundo o IBGE, ocorrerá em 2017. Os salários e a distribuição das vagas pelos estados ainda serão divulgados. O instituto informou que ainda estuda quais valores serão oferecidos a esses funcionários temporários, e adiantou que haverá vagas em todo o país, a exemplo do primeiro edital, já publicado. No caso do recenseador, no Censo de 2010, a Diretoria Executiva da fundação esclareceu que a remuneração variava de acordo com o número de pessoas e domicílios recenseados, sendo igual ou superior à dos agentes censitários (de R$1.560 a R$3 mil).

A última seleção para agentes municipal, supervisor e de Informática ocorreu em 2009. Os rendimentos eram de R$760 para o agente administrativo, de R$900 para o supervisor e de informática, de R$1.150 para o municipal e de R$1.600 para o regional. À época, foram oferecidas 33.012 vagas. Já o último processo para recenseador ocorreu em 2010, quando foram oferecidas 191.972, sendo 17.251 no Rio de Janeiro. A exigência também foi o nível fundamental completo. Nesse ano, a fundação registrou 1.052.402 inscritos, dos quais 80.985 eram do Rio de Janeiro e 29.686 da capital fluminense.

Provas - Os candidatos a agente foram avaliados por meio de prova objetiva, composta por 40, 50 ou 60 questões, dependendo da especialidade disputada. As disciplinas também variavam. Houve questões sobre Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico, Noções de Administração, Conhecimentos Técnicos e Noções de Informática. Os concorrentes a recenseador, por sua vez, responderam a 50 questões sobre Língua Portuguesa (dez), Matemática (dez), Conhecimentos Gerais (dez) e Conhecimentos Técnicos (20).






FUNCIONAMENTO DO PRO LABORE NO CARNAVAL...
PMMG PUBLICA O EDITAL PARA O CURSO DE FORMAÇÃO DE SARGENTOS...
ESA 2021: EDITAL PUBLICADO...
PREFEITURA DE CONTAGEM - EDITAL PUBLICADO | AGENTE E ANALISTA FAZENDÁRIO...
BANCO DO BRASIL CONFIRMA CONCURSO EM 2020...
EEAR PUBLICA EDITAL PARA CURSOS DE 2021...
Ver todas

Formas de Pagamento

Exclusivo na Secretaria Pro Labore (somente cursos presenciais)

Certificação e Segurança

Reputação



(31) 3295-2500
Fale conosco